Governo corta pela metade a velocidade da rede no Irã

Um dos assuntos da semana é a série de medidas que o governo iraniano tomou para reduzir o número de “incidentes” gerados pelas informações que vazam na internet. Sem contar com a organização dos protestos via Twitter, articulados pelo candidato Mir Hussein Mousavi.

Mahmoud Ahmadinejad, reeleito e acusado de fraudar a votação, chegou até a cortar acesso ao YouTube por lá. Pelo menos é o que o Google diz em seu blog ao afirmar que a banda utilizada por lá caiu para menos de 10% do índice normal.

Lembra muito a China. A diferença é que a censura não é tão boa no Irã. Para atrapalhar um pouco o trabalho dos censores, os internautas que se sensibilizaram com a causa fizeram uma proposta interessante: alterar a localização geográfica no sistema para Teerã e trocar o fuso para 3:30 GMT. Imagine a dor de cabeça de quem foi escolhido para monitorar as mensagens…

O mais engraçado é que os governos não conseguem entender o poder da rede. Sites de Proxy vão sempre existir para evitar as rotas proibidas. Conexão lenta não é problema, principalmente quando você só precisa de algumas palavras para passar a mensagem. E sempre há uma alternativa para colocar os vídeos no ar. Há sempre alguém disposto a espelhar essas informações em outros servidores.

A solução por lá seria “puxar a tomada da internet” de vez. Mas será que alguém tem coragem de fazer isso? Rede MUNDIAL de computadores… 😉

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *